Em 2020 os carros eléctricos vão representar entre 2 a 5 por cento da produção mundial de automóveis, segundo um relatório sectorial da PricewaterhouseCoopers (PwC), noticia a Europa Press.

Esta previsão significa que o impacto dos veículos eléctricos nas vendas mundiais de carros vai ser «mínimo», para além de que o seu uso se verificará sobretudo em locais urbanos, pelo menos na fase inicial de comercialização, adianta o documento.

A vida «relativamente curta» das baterias, embora haja progressos no desenvolvimento da tecnologia de iões de lítio, a infra-estrutura de recarregamento dos veículos e os custos que implica apresentam-se como obstáculos ao desenvolvimento dos carros eléctricos.

Para além disso, investir em Investigação e Desenvolvimento de carros eléctricos implica gastos elevados que os fabricantes de veículos preferem evitar, orientando-se para as tecnologias tradicionais de redução de consumo, cujo retorno de investimento é mais rápido.

No entanto, para a entidade, o apoio dos governos a projectos de desenvolvimento de veículos eléctricos como forma de reduzir as emissões de CO2 e combater as alterações climáticas é um ponto a favor do sector.

Apesar deste factor positivo, o relatório sublinha que «restam muito poucas dúvidas de que esta tecnologia tenha um impacto significativo na indústria automóvel».
Redação / IC