O presidente da Energias de Portugal (EDP), António Mexia, mostrou-se esta segunda-feira confiante no futuro da EDP Renováveis.



Na sessão especial de bolsa para apuramento de resultados da Oferta Pública de Subscrição (OPS), o presidente da eléctrica referiu que «a EDP Renováveis será em dois anos a segunda maior cotada a nível mundial nas energias renováveis».

«Queremos uma relação de longo prazo com os nossos accionistas» justificou quanto ao preço de 8 euros por acção.

«Muitas vezes, os resultados não são os melhores porque as pessoas privilegiam o curto prazo», acrescentou, sublinhando os números que envolvem a operação: 359 milhões de encaixe, 187 mil novos accionistas, 88 vezes de superação da procura face à venda, enquanto os investidores institucionais deram ordens de seis vezes acima da quantidade disponível, ou seja, 150.938.716 acções.

«Estamos aqui para durar»

O responsável destacou que o facto da nova empresa, que entra para o PSI20 a 1 de Julho, estar nos lugares cimeiros do sector das energias renováveis, deve-se à aposta de Portugal neste domínio: «Estamos na primeira linha, porque Portugal está na primeira linha», disse.

António Mexia lembrou que o sucesso e o insucesso de uma operação nascem no mesmo sítio e considerou que a sua equipa, ao fim de 138 reuniões por 14 países, fez a decisão acertada: «Nós e a nossa equipa acertámos. Estamos aqui para durar», sublinhou.
Rui Pedro Vieira