O desemprego em Espanha atingiu mais 126.700 pessoas no segundo trimestre, um aumento de 3,1 por cento em relação ao trimestre anterior, elevando o número total de desempregados para os 4.137.500. A taxa de desemprego cresceu cinco décimas, para os 17,92%, atingindo o seu valor mais elevado em onze anos, segundo dados do Inquérito à População Activa (APE) divulgado, esta sexta-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), escreve o El País.

No entanto, apesar do desemprego atingir valores recordes, o seu comportamento no segundo trimestre foi muito melhor do que no primeiro. Com efeito, o crescimento do desemprego entre Abril e Junho foi seis vezes inferior ao experimentado nos primeiros três meses de 2009, quando o desemprego atingiu mais 802.800 pessoas.

Segundo os dados estatísticos, o desemprego aumentou, nos últimos doze meses, 73,7% (1.755.900 desempregados), atingindo mais os homens do que as mulheres.

Os únicos sectores que viram uma redução do número de desempregados, durante o segundo trimestre, foram os sectores da construção e aqueles que procuram o primeiro emprego, com menos 41.900 e 12.800 desempregados, respectivamente.

Nos restantes sectores verificou-se um aumento do desemprego, sobretudo entre os desempregados de longa duração (aqueles que perderam os seus postos de trabalho há mais de um ano), gerando mais de 117.000 desempregados no trimestre (11,9%).
Redação / EF