Os dados divulgados esta quarta-feira pelo INE, e que apontam para um crescimento do PIB na ordem de 1,8% em volume no 3º trimestre, não desmoralizam o Governo.

A convicção foi expressa pelo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, que avançou à entrada de uma reunião do Conselho Nacional do Mercado de Valores Mobiliários, na sede do Ministério das Finanças, que «a economia portuguesa está numa fase de recuperação do seu crescimento. Um crescimento que tem vindo a melhorar este ano e que esperamos que se mantenha no próximo».



O ministro disse ainda que estes valores não colocam em risco as previsões do Governo: «Os números estão a revelar que a economia está a crescer de forma sustentável», acrescentou.

A economia nacional, apesar de ter abrandado no terceiro trimestre face ao anterior, cresceu a uma taxa anual de 1,8 por cento no terceiro trimestre, com o INE a rever em alta as taxas de variação homóloga do Produto Interno Bruto (PIB) em 0,1 e 0,3 pontos percentuais.

«Coloca-nos um crescimento médio de 1,9% no final de Setembro», sintetizou o ministro das Finanças.

Crescimento acima das previsões é possível

O ministro disse ainda que é possível o crescimento da economia vir a ser acima das previsões do Governo, mas revela cautela na análise: «Se no fim do ano teremos um crescimento melhor, logo veremos, mas com certeza que os números do INE traduzem uma melhoria», admitiu.

Contudo, o responsável pela pasta das Finanças disse que «não gosta de apresentar previsões todas as semanas».

«Este crescimento denota confiança reforçada na nossa economia e uma recuperação mais acentuada do investimento», sublinhou.

Recorde-se que os resultados correntes das Contas Nacionais (3º trimestre) serão publicados pelo INE no próximo dia 7 de Dezembro.
Rui Pedro Vieira