[ Notícia actualizada às 17:56]

Os lucros da EDP subiu 20 por cento no total de 2008, para 1.092 milhões de euros, um resultado que é acima das previsões.

Trata-se do melhor resultado líquido de sempre de uma empresa cotada que, de acordo com dados da empresa, foi impulsionado por ganhos de capital num total de 482 milhões de euros, incluindo 405 milhões resultante do efeito de diluição da posição da EDP na EDP Renováveis, e 49 milhões de ganho na venda das posições detidas na Turbogás e Portugen.

O EBITDA consolidado cresceu 20% em 2008 para 3.155 milhões de euros, impulsionado pelo negócio eólico (224 milhões), suportado por maior escala de operações, pelo negócio de distribuição (mais 314 milhões de euros), mas também ajudado por proveitos de actividades reguladas mais altos, em Espanha, maior eficiência de custos e menores custos não recorrentes.

«Mesmo assim, o crescimento de EBITDA foi penalizado pelo montante inferior de activos relacionados com actividades reguladas recuperado em 2008 no Brasil», informa a eléctrica.

O EBIT consolidado cresceu 24% (mais 371 milhões de euros) em 2008, com o crescimento do EBITDA a ser parcialmente compensado por um aumento das amortizações (de mais de 175 milhões de euros).

Custos de 200 milhões com BCP

Já os custos financeiros líquidos subiram 397 milhões de euros em 2008, reflectindo sobretudo uma subida dos custos líquidos com juros (mais 34%)e outros custos financeiros resultantes de perdas de imparidade (288 milhões) com as posições detidas na Sonaecom (67 milhões), BCP (200 milhões de euros) e na Ampla (21 milhões).

A dívida líquida no final de 2008 situava-se em 13,9 mil milhões de euros, acima dos 11,7 mil milhões de euros registados em 2007, reflectindo o aumento de desvios e défices tarifários (mais 1,2 mil milhões.

Em 2008, o investimento operacional da EDP ascendeu a 3,6 mil milhões de euros, 78% do qual foi canalizado para projectos de expansão.

A acrescentar à nova capacidade instalada em 2008 (mais 18% face a 2007), a EDP detinha em construção, no final de 2008, 3.330MW, incluindo sobretudo capacidade eólica e hídrica (51% do total).

As acções da EDP fecharam a cair 3,57% para 2,35 euros.