Um valor superior face à vizinha Espanha, que gasta em média 16 euros, equivalente a 9 produtos.

Por mês, os gastos rondam os 113 euros, principalmente dedicados a compras de frescos e lácteos. De acordo com o mesmo estudo, as compras de rotina são feitas de 15 em 15 dias e a dispensa uma vez por mês.

O preço é a grande condicionante no acto da compra, pesando 72,4 por cento das opções. Já o factor saúde pesa 60%. «Assiste-se a uma grande preocupação com o preço mas também cada vez mais com a saúde», adianta.

Formato «discount» ganha peso

De acordo com o estudo da consultora TNS, o canal «discount» já pesa cerca de 24% da distribuição moderna em Portugal. Com a marca «Lidl» a liderar neste segmento.

Os portugueses visitam em média 4,5 insígnias por ano, o que revela, de acordo com o mesmo, «pouca fidelidade às marcas». «Poucas insígnias apresentam fidelidade acima de 30%».

Aliás, 54% dos lares dizem não possuir um cartão de fidelidade.

Também as marcas próprias no mercado nacional têm crescido menos do que no resto da Europa, em Portugal aumentou 64% enquanto na Europa subiu 80%.
Sónia Peres Pinto