O presidente dos Estados Unidos garantiu esta quinta-feira ajuda à indústria automóvel em risco de falência, mas exigiu medidas «dolorosas» e «drásticas», com o sector a ter de apresentar até terça-feira planos de restruturação profunda.

«Asseguramos a ajuda, mesmo sabendo que esta medida, para benefício dos construtores e trabalhadores do sector, é pouco popular», declarou Barack Obama a jornalistas, na Casa Branca, citado pela agência Lusa.

«Em causa estão os custos que teria para o país a falência, em peso, da indústria automóvel» norte-americana, sublinhou.

Obama concluiu que se o sector não proceder às necessárias reestruturações e enfrentar as consequência «drásticas e dolorosas», não receberá a fundo perdido a esperada «injecção» de fundos públicos.
Redação / RPV