O impacto do actual impasse político é «negativo» para a Brisa, uma vez que o «mercado já estava a descontar a introdução de portagens na rede de SCUTs a partir do segundo trimestre de 2004 e o impacto positivo na Brisa», afirma o BPI, no Iberian Daily.

«A convocação de eleições antecipadas gera uma forte incerteza à volta desta questão, uma vez que o Partido Socialista era claramente contra a introdução de portagens nas SCUTs», acrescenta. O analista Tiago Veiga Anjos sublinha, no entanto, que esta medida poderá não ser adoptada «caso o PS vença as eleições», que devem ter lugar em Fevereiro próximo.

O actual Governo estava a ponderar entregar a cobrança das SCUTs (auto-estradas sem portagem) à Via Verde da Brisa, o que permitiria à concessionária de auto-estradas aumentar a sua fonte de receitas.

Actualmente, o BPI está a rever a recomendação e o preço alvo para a Brisa.
Sandra Pedro