O banco de investimento explica que estes contratos permitem «reforça o seu crescimento potencial na área de negócio bilhética. No entanto trata-se de um pequeno montante, representativo de cerca de 5% das estimativas para o turnover da divisão de infra-estruturas da Novabase para o final do ano e 1,9% para o esperado regresso aos lucros no final de 2004», refere o BPI no Iberian Daily.

A Novabase vai fornecer serviços ao novo metro do Tenerife, através do consórcio Efacec-Ikusi e da sua subsidiária Octal, assim como aos estádios de futebol do Jamor, Municipal de Barcelos e ao do Nacional da Madeira.

O BPI está a rever a avaliação da Novabase.
Sandra Pedro