Ao falar aos jornalistas em comentário aos resultados das eleições de hoje, João Jardim afirmou que «não se trata dos socialistas, mas da vitória dos interesses e dos corporativismos, que ganharam uma campanha pública contra o governo liderado por Pedro Santana Lopes».

Para Alberto João Jardim, citado pelo «Diário Económico», a previsível maioria absoluta alcançada pelo PS traduz ainda a vontade dos eleitores em dar ao Governo condições para exercer o seu mandato «sem necessidade de formações comunistas».

Na ocasião, o líder regional da Madeira visou também o Presidente da República, defendendo que «a coligação (PSD-CDS/PP) foi derrubada ilegitimamente a meio do seu mandato».
Redação / DE/PGM