A Associação Portuguesa das Empresas de Distribuição (APED) nega que a maioria das empresas suas associadas se atrase nos pagamentos aos fornecedores.

Esta é a resposta do sector às acusações feitas pela Centromarca. «A APED rejeita e refuta de falsas as acusações proferidas pela Centromarca sobre atrasos de pagamento e de concentração elevada na distribuição. É falso que a maioria das empresas de Distribuição não seja cumpridora dos compromissos assumidos com os seus fornecedores nomeadamente com os prazos de pagamento. A própria Centromarca reconhece tal facto ao aceitar que dois terços das empresas os cumprem», refere a APED num comunicado.

No mesmo documento, a associação lembra que «o mais importante compromisso das empresas de distribuição é e será sempre para com os consumidores» e «só perante eles respondem pela qualidade da sua oferta e dos serviços que prestam».

A APED vai mais longe e acusa algumas empresas «dominantes» representadas pela Centromarca de lidarem «mal com mercados abertos e formas de concorrência a que não estavam habituadas». Uma «falta de cultura concorrencial» que, de acordo com a associação, se caracteriza «por tentar interferir abusivamente em duas das variáveis nucleares dos distribuidores, nomeadamente, a escolha do seu sortido e os preços de venda praticados».

As empresas de distribuição lamentam «que a Centromarca despreze o Código de Boas Práticas Comerciais» e que «em vez de procurar resolver os eventuais problemas concretos que possam existir dentro daquele fórum, prefira insistir em lançar para o ar acusações vagas e abstractas sobre um sector sem o qual a produção não existiria».