De acordo com o Inquérito aos Bancos sobre o Mercado de Crédito, no quarto trimestre do ano passado, os cinco grupos bancários participantes mantiveram os critérios de concessão de empréstimos ou linhas de crédito a empresas praticamente inalterados. Apenas no segmento dos empréstimos de longo prazo uma instituição bancária reportou um ligeiro aumento da restritividade nos critérios seguidos.

Apesar de apenas um ter apertado os seus critérios de concessão de crédito, quatro reportaram uma avaliação menos favorável dos riscos associados a sectores de actividade ou empresas específicas como contribuindo para uma maior restritividade dos critérios.

Três bancos dizem também que a evolução da actividade económica geral era menos favorável, e um referiu os riscos associados às garantias exigidas e o aumento do custo de capital relacionado com a captação de fundos próprios.

Tendo em conta os riscos apontados, os bancos só não apertaram mais os critérios de concessão de empréstimos por causa da elevada concorrência existente entre instituições bancárias.

Nos empréstimos de maior risco os bancos praticaram spreads mais elevados, enquanto os spreads associados a empréstimos de risco médio, apesar de alguma dispersão nas respostas, terão registado uma diminuição. Note-se ainda que uma instituição reportou uma diminuição de comissões e outros encargos não relacionados com taxas de juro.

Pequenas e médias empresas procuram mais crédito

A procura de empréstimos por parte das empresas não se alterou muito, embora se tenha verificado um aumento da procura de empréstimos entre as pequenas e médias empresas e sobretudo de empréstimos de curto prazo.

A necessidade de reestruturação da dívida das empresas foi o maior estímulo, mas também o aumento das necessidades de fundo de maneio e de constituição de existências e a diminuição do recurso a empréstimos de outras instituições bancárias terão justificado uma maior procura de crédito por parte das empresas.

Em sentido contrário, duas instituições indicaram uma diminuição das necessidades de financiamento para investimento, tendo uma delas apontado adicionalmente a diminuição das necessidades de financiamento para processos de fusões/aquisições e reestruturação empresarial, o incremento da geração interna de fundos e o aumento da emissão de títulos de dívida como contribuindo negativamente para a evolução da procura de crédito por parte das empresas.

Crédito mais difícil em 2006

Para o primeiro trimestre de 2006, dos cinco bancos inquiridos, apenas um pretende apertar os critérios de concessão de empréstimos ou linhas de crédito a empresas, independentemente do segmento empresarial ou maturidade contratual. No entanto, para o segmento das pequenas e médias empresas e para os empréstimos de maturidade mais longa, uma outra instituição pretende igualmente adoptar critérios mais restritivos.

Por fim, os bancos prevêem um ligeiro aumento da procura por parte das empresas, nos primeiros três meses de 2006, precisamente por parte das pequenas e médias empresas e para empréstimos de maior maturidade.
Redação / PGM