A EDP passou hoje o dia em baixa, com uma derrapagem de 0,76% para os 2,54 euros, depois de terá tingido novos máximos de 4 anos, ainda esta semana. Isto, num dia em que saíram as notícias de uma possível movimentação da sua estrutura accionista e ainda da possível compra de parques eólicos em Espanha, no valor de 600 milhões de euros.

O peso pesado da banca esteve a ser influenciado negativamente, com uma quebra de 0,48% para os 2,09 euros. Já os restantes BES e BPI somaram ganhos, mais 0,15% para os 13,30 euros e 1,08% para os 3,76 euros, respectivamente.

A pressionar esteve também a Brisa, com uma derrapagem de 0,57% para os 6,94 euros.

A liderar as quedas esteve a oscilante Pararede, a perder 3,33% para os 0,29 euros.

A Sonae SGPS acabou o dia já em terreno positivo com ganhos de 0,67% para os 1,51 euros, num dia em que o BCP Investimento iniciou a sua cobertura com um preço alvo para o final de 2006 de 1,67 euros e uma recomendação de «compra».

O único peso pesado que valorizou hoje foi a Portugal Telecom a subir 0,61% para os 8,19 euros e evitando, assim, uma maior descida do PSI20.

Em maré verde está também a Jerónimo Martins, que logra 1,29% para os 12,60 euros. A empresa beneficia de recomendações favoráveis já que inaugurou, ontem, a sua loja número 800, a Biedronka, na Polónia.

A Europa também fechou a semana a negociar em terreno negativo, uma vez que as principais praças estão em baixa. O CAC francês deslizou 0,19%, o DAX 0,11%, o IBEX 0,13% e ainda o FTSE inglês 0,18%.

Do outro lado do Atlântico, os mercados norte-americanos seguem a transaccionar em queda, com o Dow Jones a cair 0,01% e o Nasdaq a perder 0,20%, apesar dos dados económicos positivos relativos à região.
Redação / PM