A verificar-se esta revisão em alta, as previsões de Bruxelas ficarão alinhadas com as do Banco de Portugal e com as do próprio Governo português. Para 2008, a Comissão previa um crescimento nacional de 1,7%. O Governo aponta agora para 2,4%.

Também no que se refere às previsões para a economia europeia, são esperadas perspectivas mais positivas. Antes a Comissão apontava para uma expansão económica de 2,4% na União Europeia (UE), em 2007 e 2008 e de 2,1% na Zona Euro para este ano e de 2,2% no ano que vem.

Mas, ao que tudo indica, a economia do Velho Continente está ainda mais dinâmica do que se previa. Na semana passada, a Comissão Europeia disse que as perspectivas de crescimento são mais favoráveis em 2007 do que em muitos anos anteriores, considerando sólida a retoma económica em curso. No ano passado, a economia da União Europeia cresceu 2,9% e a da Zona Euro 2,6%.

Além do crescimento económico, Bruxelas deve avançar também previsões para o défice orçamental nacional. As últimas projecções da Comissão apontavam para os 3,9%, mas o Governo conseguiu resultados melhores do que o esperado no ano passado: 3,9% em vez dos 4,6% esperados. Depois disso, o Executivo português reduziu a previsão de défice para este ano, para 3,3%, pelo que se espera que também Bruxelas venha agora a apontar para um valor mais baixo.