Segundo fonte camarária, citada pela «Rádio Renascença», a operação, que servirá também para garantir liquidez de tesouraria ao longo de 2005, foi aprovada com votos favoráveis da coligação PSD/CDS-PP e do PCP e a abstenção do PS.

A operação foi acordada com a instituição bancária espanhola Caixa de Aforros, de Vigo, Orense e Pontevedra, por ter sido de entre as cinco consultadas, a que melhores condições forneceu.
Redação / RR/PGM