Fonte ligada à defesa de Carlos Silvino adiantou à Agência Lusa que o requerimento do advogado José Maria Martins deu ontem entrada na Vara Criminal competente.

O colectivo presidido por Ana Peres já definiu, anteriormente, que a sessão será à porta fechada, mas José Maria Martins queria que as declarações de «Bibi» pudessem ser feitas na presenças da Comunicação Social.

Esta posição foi subscrita por Adelino Granja, advogado de uma das vítimas («Joel») do processo Casa Pia, que requereu hoje que as sessões de julgamento destinadas a ouvir «Bibi» e «Joel» fossem abertas aos jornalistas e ao público.

Granja, em requerimento entregue à juíza, lembrava que, segundo informações recolhidas junto da Comunicação Social, todos os arguidos, com excepção de um (Gertrudes Nunes), aceitam que a audiência de julgamento seja aberta ao público e aos jornalistas.

A quinta sessão de julgamento do caso de pedofilia na Casa Pia, envolvendo sete arguidos e mais de 30 alegadas vítimas, está marcada para hoje, com o início da audição de «Bibi», considerado uma peça-chave do processo e o único arguido em prisão preventiva.
Redação / Lusa/AM