Os analistas tinham previsto uma melhoria deste indicador, depois do índice de confiança do investidor na economia alemã elaborado pelo Centro de Investigação Económica Europeia ZEW avançasse notavelmente em Dezembro.

No entanto, o clima empresarial elevou-se acima do esperado e o Ifo destacou a «clara subida» deste índice, depois do retrocesso «passageiro» de Novembro. O presidente do instituto de Munique, Hans-Werner Sinn, afirmou que os dados actuais confirmam a tendência ascendente no clima empresarial iniciado na primavera deste ano.

As companhias averiguadas classificaram melhor que em Novembro a situação actual como as expectativas para os próximos seis meses. Alias, as empresas calcularam que as exportações alemãs continuam a crescer em força, depois que, do que já passou do ano, beneficiaram da desvalorização do euro em relação ao dólar, que caiu na casa dos 13% desde Janeiro.

O Ifo explicou que o clima empresarial melhorou na construção, e no comércio grossista e no comércio de retalho, sector em tinha baixado fortemente em Novembro.

Sublinhando a valorização da situação no segmento de produtos manufacturados e classificou como «ostensivamente optimistas» as previsões da evolução desse sector durante os próximos seis meses.

As empresas de serviços, em troca, classificaram a situação actual pior que o mês passado, apesar de terem melhorado os seus prognósticos para o próximo semestre.
Redação