A culpa é, como seria de esperar, da crise que afecta os mercados financeiros, desencadeada pela crise do crédito de alto risco (subprime) dos EUA.

De acordo com o inquérito aos bancos, divulgado esta sexta-feira pelo Banco Central Europeu (BCE), a maioria das instituições revelou intenções de apertar as condições para a concessão de crédito. O relatório que costuma ser divulgado trimestralmente pelo BCE foi agora antecipado num mês, precisamente devido à turbulência financeira das últimas semanas que, segundo dizem os bancos, pode dificultar o financiamento ao longo dos próximos três meses.

«A disponibilidade dos bancos para concederem empréstimos ao longo dos próximos três meses pode ser afectada pelos acontecimentos no mercado de crédito, no que se refere aos custos suportados pelos bancos», refere o relatório.

Assim, no quarto trimestre deste ano, as empresas podem esperar critérios mais apertados na concessão de crédito, embora os bancos estimem que a procura continue a crescer, ainda que menos do que nos terceiro trimestre.

Os consumidores particulares também podem esperar dificuldades acrescidas na obtenção de empréstimos, quer no crédito à habitação, quer sobretudo no crédito ao consumo.
Redação