Os bancos estão a dar mais valor às casas, quando fazem as avaliações dos imóveis para efeitos de concessão de crédito à habitação.

De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), no segundo trimestre deste ano, o valor médio da avaliação bancária da habitação no Continente, situou-se nos 1.168 euros/m2, correspondendo a um acréscimo trimestral de 1,7%. Esta foi a primeira subida desde o quarto trimestre de 2007.

No entanto, o valor ainda não voltou a níveis do ano passado, uma vez que, comparando o valor do segundo trimestre deste ano com o do mesmo trimestre do ano passado, se verifica ainda uma descida de 1,5%. Uma quebra que é, ainda assim, menos intensa que a do trimestre anterior.

Algarve tem as casas mais caras com 1.429 euros/m2

O valor médio mais elevado continuou a verificar-se no Algarve, e é de 1.429 euros/m2. Nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, as variações face ao trimestre anterior foram respectivamente de 2,2% e de 1%.

Olhando apenas para os apartamentos, o valor médio da avaliação bancária aumentou 1,7% face ao trimestre anterior e diminuiu 0,8% face ao trimestre homólogo. Apenas o Alentejo registou uma quebra trimestral e o Algarve registou o maior aumento (2,6%), seguido da região Centro (2,5%). Em termos homólogos, foi o Centro (-3,3%) a liderar as descidas.

Já nas moradias, o valor subiu 1,5% face ao primeiro trimestre, com destaque para o Centro (1,8%) e caiu 2% face ao homólogo, com destaque para o Algarve (-6,4%). Aqui, o Alentejo contrariou a tendência e registou uma subida de 3,3%.

Na comparação trimestral, o maior aumento de valor foi registado pelos apartamentos T5 ou superior, com 5,9% e pelos as moradias T1 ou inferior, com 9,4%.

Casas da Grande Lisboa custam quase 30% mais que na média do país

Por regiões, o Douro apresenta a maior valorização (5%), mas a Grande Lisboa e o Algarve continuaram a apresentar os valores médios de avaliação bancária de habitação mais elevados, posicionando-se acima da média do Continente em 28,3% e em 22,3%, respectivamente. No Alentejo Litoral e na Península de Setúbal os valores também são superiores à média nacional (7,1% e 6,6% acima daquele valor).

Pelo contrário, as casas têm menos valor na região da Serra da Estrela (37,5% abaixo da média do Continente).

A Área Metropolitana de Lisboa registou variações de 2,2% e de -0,5%, em termos trimestrais e homólogos, respectivamente, e a Área Metropolitana do Porto registou um acréscimo de 1% na variação trimestral e um decréscimo de 1,8% na homóloga. Os respectivos valores médios de avaliação fixaram-se em 1.395 euros/m2 e em 1.150 euros/m2.
Redação / PGM