Os CTT registaram lucros de 31,6 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, mais 14,9 por cento que no mesmo período do ano passado, anunciou a empresa em conferência de imprensa.

Nos mesmos seis meses, a empresa atingiu um EBITDA de 59,8 milhões de euros, ou seja, mais 5%.

Por seu lado, os resultados operacionais, subiram 4,4% para 43,9 milhões de euros, enquanto os proveitos operacionais consolidados cresceram 4,1% para 427,1 milhões de euros. A empresa explica que houve uma variação positiva em todas as áreas de negócio, com destaque para as áreas de expresso e encomendas, que registou uma variação homóloga de 9,6%, ainda que a maior variação tenha surgido com a actividade do correio.

Os resultados correntes consolidados valorizaram 12,6% para 43,9 milhões de euros, o que traduz uma margem operacional de 10,3%.

«Numa conjuntura relativamente menos apetecível, com as restrições de crédito e o ajustamento no consumo é motivo de algum optimismo (estes resultados), explicou em conferência de imprensa o presidente dos CTT, Estanislau Mata Costa.

Mais 182 colaboradores

Em matéria de custos operacionais, os correios registaram uma variação de 15 milhões de euros, alcançando os 383,2 milhões de euros. Para esta evolução, a empresa recorda que contribuiu o lançamento do serviço Phone-ix. Excluindo os custos associados ao operador móvel virtual lançado em Novembro do ano passado, o acréscimo teria sido de 2,9%.

«Se descontarmos os efeitos das receitas (causado pelo Phone-ix), o crescimento do grupo teria sido apenas de 3,4%, em vez dos 4,1% no primeiro semestre», referiu o presidente dos CTT.

A empresa sublinhou ainda que operou, nos primeiros seis meses, a um aumento de 1,2% no número de funcionários, ou seja mais 182 colaboradores. Os CTT contam agora com um total de 16.107 efectivos, sendo que só na empresa-mãe o aumento de pessoal foi de 40 pessoas.

Já o activo líquido foi de 1.269,1 milhões de euros, o que corresponde a uma variação negativa de 13% face ao valor verificado no final de 2007.

Objectivo: superar lucros de 60 milhões até ao fim do ano

O presidente dos CTT disse ainda aos jornalistas acreditar na boa «performance» da empresa, ao ponto de ultrapassar os objectivos lançados pelo accionista Estado para este ano: crescer nas receitas em 39 milhões de euros (o que implicará um total de 886 milhões de euros no fim do ano) e alcançar resultados líquidos de 60 milhões de euros (pelo menos mais 29,4 milhões do que os alcançados no primeiro semestre).

«São para cumprir e gostaria de os ultrapassar», sintetizou Estanislau Mata da Costa em conferência de imprensa. Para tal, a empresa espera beneficiar já do aumento sentido no preço dos selos, que ficaram mais caros desde 1 de Agosto.

Ao fim de cinco anos sem mexidas, os selos de correio normal, até 20 gramas, custam 31 cêntimos (mais 1 cêntimo do que antes). Já os selos de Correio azul, até 20 gramas, sofreram um aumento de 2 cêntimos, passando a custar 47 cêntimos. Esta tarifa não era aumentada há 4 anos, lembram os CTT.
Rui Pedro Vieira