O líder parlamentar do PS, Francisco Assis, acusa o PSD de «optar por uma via radical, extremista e irresponsável». A declaração do socialista surge depois de se saber que os social-democratas pretendem propor a abertura de uma comissão de inquérito para investigar o Magalhães e a Fundação das Comunicações Móveis, criada para gerir o financiamento estatal do programa.

«A ser verdade, isso significa que o PSD está de facto a optar por uma via radical, extremista e irresponsável, de todo em todo imprópria de um grande partido com vocação de alternativa de poder como é o caso do PSD», disse Francisco Assis, numa conferência de imprensa na sede do PS/Porto.

«Evidentemente, participaremos em todas as comissões, com o intuito de contribuir para que haja a máxima transparência em todos os processos decisórios. Agora, uma coisa é ter esta atitude e outra é verificar que o PSD está de facto a fazer uma campanha alicerçada na suspeita e na insinuação, atentando até contra o bom-nome das instituições e das pessoas», acrescentou.

Esta atitude, diz Francisco Assis, «seria natural num pequeno partido extremista e radical, mas é imprópria num grande partido com vocação de poder como ainda é o PSD».

«O Magalhães fez muito pela divulgação da sociedade da informação em Portugal», lembrou.
Redação / PGM