«Muito provavelmente não haverá aumento. A ideia é que a evolução do gasóleo, neste momento, não justifica um aumento, mas tem que se esperar pelos próximos dias» para se ter uma confirmação, disse o ministro, fazendo alusão àquela que provavelmente será a conclusão da revisão trimestral que passou a ser feita em função da evolução do petróleo nos mercados internacionais.

Uma decisão que o Governo terá que anunciar até ao dia 21 de Dezembro.

Quanto à outra actualização de preços, que sempre existiu e que é anual, lembra António Mexia, desmentido algumas notícias mais recentes que esta revisão é, «geralmente, feita até ao final do primeiro trimestre» e não logo em Janeiro.

«As decisões (sobre quanto será o aumento este ano) não foram tomadas e, como todos sabem, os transportes nunca aumentam em Janeiro. Geralmente, a decisão é tomada em Fevereiro ou em Março. Portanto, a única coisa que posso dizer é que as decisões serão tomadas como é habitual no sistema e sobretudo, no caso de Lisboa, temos que ter em conta que está, actualmente, a ser discutido no contexto das Áreas Metropolitanas, criadas por este Governo, o papel crescente das autarquias no que diz respeito, em particular, aos tarifários e aos sistemas de aplicação destes, bem como é a forma como se vão estabelecer os diferentes preços pelos diferentes módulos (o sistema por coroas)», frisou o governante aos jornalistas, à margem de um almoço promovido pela Câmara do Comércio Luso-francesa.
Monica Freilão