Numa declaração conjunta, que se segue a uma reunião entre Carlos Ghosn, presidente executivo da Renault e da Nissan, e Rick Wagoner, presidente executivo da GM, as empresas indicam que, após a conclusão do estudo, irão «decidir sobre a pertinência de continuar a explorar o conceito de aliança».

A questão da entrada da GM na aliança Renault/Nissan foi proposta por Kirk Kerkorian, detentor de um fundo de investimento que é o accionista com maior participação no capital da GM.

A GM registou em 2005 prejuízos de 10,6 mil milhões de dólares.

A Aliança Renault Nissan foi concretizada em Março de 1999 numa altura em que o construtor automóvel japonês enfrentava dificuldades económicas.

Actualmente a Renault detém 44,3 por cento do capital da Nissan e a Nissan 15% do capital da Renault.