Durante a sua apresentação no jantar da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações (APDC), o presidente disse que há «sectores onde o interesse português pode ser salvaguardado», como a energia, as telecomunicações e a banca.

Nestes sectores deveria garantir-se que «algumas decisões estratégicas estão salvaguardadas», disse Sampaio em resposta à questão do presidente da Oni, Pedro Norton de Matos, sobre se encararia com bons olhos uma Presidência Aberta sobres as telecomunicações, com vista a chamar também a atenção para a concorrência no sector.

O presidente não quis dar respostas sobre sectores específicos, mas disse que está agendada para os próximos dias 5 e 6 de Março uma discussão, à porta fechada, com 15 a 20 entidades europeias, para discutir a temática das comunicações.

Sobre a concorrência, Jorge Sampaio defende um papel mais forte dos reguladores uma vez que para o presidente muito do futuro vai depender da capacidade de duas coisas: da regulação e da capacidade do regulador da garantir.
Alda Martins