A Modelo Investimentos Brasil, filial do grupo português, alienou a totalidade da sua participação na brasileira Sonae Distribuição Brasil. A Sonae estima que o impacto da transacção nos resultados consolidados da Sonae SGPS será de cerca de 60 milhões de euros, contribuindo ainda o correspondente encaixe para o reforço da solidez financeira do Grupo.

Após esta transacção, no balanço da Modelo Investimentos Brasil, permanecem activos maioritariamente imobiliários, num valor superior a 15 milhões de euros.

O desinvestimento no mercado brasileiro deve-se à «dificuldade da operação em apresentar níveis de rendibilidade superiores ao elevado custo do capital empregue naquele mercado», refere a Sonae no comunicado.

Esta dificuldade deveu-se sobretudo às elevadas taxas de juro reais verificadas ao longo dos últimos anos, que colocaram o custo de capital em patamares extremamente elevados, acrescenta a empresa.

O grupo de Belmiro de Azevedo garante que a descontinuação da actividade da distribuição no Brasil é independente e não tem qualquer impacto nos restantes negócios em que o Grupo Sonae está presente neste mercado, nomeadamente nos sectores dos Centros Comerciais e dos Painéis Derivados de Madeira, «que continuarão a prosseguir as suas próprias estratégias de desenvolvimento».