Depois de a casa mãe, a General Motors, ter comunicado que pretende encerrar a unidade portuguesa, os trabalhadores paralisam esta quinta-feira as linhas de produção e manifestam-se ao princípio da tarde na Praça do Comércio, em Lisboa. O destino desta marcha será a residência oficial do primeiro-ministro.

A General Motors pretende passar a produzir o Combo na fábrica espanhola de Saragoça. Este era o único modelo em produção na Azambuja.

A CGTP acompanhará os cerca de 1.700 manifestantes esperados. É que, além ds funcionários da própria fábrica da Opel, existem muitos outros trabalhadores, de empresas que fornecem a General Motors, que têm também o posto de trabalho ameaçado e que estão também em greve.

O Governo português esteve em conversações com a General Motors para manter a fábrica aberta, mas desde a reunião, a empresa não emitiu quaisquer declarações nem anunciou qualquer posição. O encerramento é dado como certo.