A subida de preço ficará a dever-se à revisão periódica das tarifas indexada à evolução do preço do gasóleo e baseia-se num cálculo do «Jornal de Negócios».

O diário calculou a subida do preço a partir da equação publicada em Diário da República, que fixa a fórmula convencionada pelo Governo para reflectir o impacto da evolução do combustível no preço final.

Esta fórmula determina que a tarifa seja calculada comparando o preço médio do gasóleo verificado no último trimestre com o trimestre anterior, explica o jornal.

Contudo, o anterior aumento dos preços, aplicado a partir de Outubro, teve por base a evolução do preço médio do diesel rodoviário entre Abril e o final de Agosto, ou seja, um semestre.

De acordo com uma fonte do ministério das Obras Públicas, esta média pode ser aplicável na segunda fixação dos preços pelo novo regime.

Face à dúvida se será aplicada uma ou outra fórmula de cálculo, o Jornal fez as contas às duas possibilidades.

Assim, se a opção for o da comparação com o semestre, a tarifa média do passe subirá 2,1%, mas se opção for pela comparação do trimestre, então o aumento deverá ficar pelos 1,8%.

Além da revisão trimestral, que reflecte a variação do valor do combustível, o preço dos transportes públicos sofrerá ainda uma actualização anual em 2005 que em regra segue a inflação esperada e que o Governo estima em 2,2%.

Esta segunda actualização de preços deverá ocorrer em Fevereiro ou Março, adianta.
Redação / Jornal de Negócios