Quem o disse foi o director-geral, José Eduardo Moniz, num encontro com a imprensa. «Os primeiros oito meses do ano têm sido fantásticos, tanto a nível de audiências como de receitas», afirmou, sublinhando que os níveis no final do ano se devem manter nos de 2006, ou seja, «entre 33,9 e 34%» de share.

E acrescentou: «Só um cataclismo poderá evitar que a TVI ganhe mais uma vez o ano».

O responsável adiantou que a linha de orientação vai manter-se igual e que vão continuar a apostar nas mesmas linhas de ficção, de entretenimento e de informação.

Estreias a partir de Setembro

Nesse sentido, a TVI tem várias estreias previstas, a partir de Setembro, mas Moniz também já pensa em 2008. «Estamos a preparar a nova época, de forma acelerada. Até porque precisamos de definir os orçamentos que serão apresentados em Setembro», justificou.

Antes de terminar o ano, podemos contar com as estreias das novelas «Deixa-me Amar», «Equador» e só depois, em Novembro, um projecto de ficção a ser filmado em Goa. Mas as estreias do canal privado em 2007 não passam só pelas telenovelas, a TVI vai contar ainda com o programa «Dr. Preciso de Ajuda», o reality-show «Casamento de Sonho» e as séries «Detective Maravilha» e a nova série dos «Morangos com Açúcar».

No âmbito da informação, José Eduardo Moniz, promete também duas novidades.

Para o próximo ano, foi anunciado um filme da série «Morangos com Açucar», mas pouco ainda se sabe. Mantêm-se os projectos dos dois novos canais no cabo e da Televisão Digital Terrestre (TDT). Sem querer adiantar perspectivas para o orçamento, o responsável referiu que este vai estar «de acordo com a realidade do mercado (português)».
Marta Dhanis