A Volvo, que é propriedade da Ford, segunda maior construtora automóvel dos Estados Unidos, vai "testar as águas" na produção automóvel na China, terceiro maior mercado automóvel mundial, inaugurando uma linha de produção na fábrica da Changan Ford.

A Changan Ford é uma empresa de capital misto na cidade de Chongqing (sudoeste da China), que a Ford detém com a Changan Automobile Co.

Segundo o director-geral Frederik Arp, a Volvo espera atingir resultados positivos ao fim de um ano de operações, trabalhando em conjunto com empresas locais.

«Esperamos seguir os requerimentos governamentais chineses quanto às empresas de capitais mistos e, ao memo tempo, manter os padrões de qualidade da Volvo», disse Arp.

O mesmo responsável adiantou que «a empresa tem vindo a trabalhar com a Changan Ford há mais de um ano neste projecto, com a certeza de que a fábrica, em conjunto com os nossos técnicos, consegue produzir automóveis com a qualidade exigida pela Volvo».

Arp explicou que a deslocação para a China se deve às tarifas impostas por Pequim à importação de veículos estrangeiros, bem como ao crescimento da procura de veículos de gama alta na China por parte de uma classe média chinesa cada vez maior e com mais dinheiro.

«Enfrentamos um cenário em que o aumento das tarifas e impostos à importação pode atingir os 25 por cento, e a concorrência está já a produzir localmente», disse Arp.

Em 2005, a Volvo vendeu 4.786 unidades na China, mais 84% que em 2004.

A Volkswagen, a BMW, a Audi e a DaimlerChrysler iniciaram já a produção na China.

O Volvo S40 tem como principais competidores no mercado chinês o BMW série 3, o Volkswagen Passat e o Audi A4.