O primeiro-ministro e secretário-geral do Partido Socialista garante que o PS está à procura de um consenso com os restantes partidos políticos na escolha do novo Provedor de Justiça, uma vez que o mandato do actual, Nascimento Rodrigues, já terminou.

Mas José Sócrates não deixou dúvidas: se não for possível reunir consenso, o PS avançará sozinho com o novo nome.

No debate quinzenal que decorre esta quarta-feira no Parlamento, o deputado do Bloco de Esquerda, Francisco Louçã, lançou o tema, falando da demora na escolha de um novo Provedor.

José Sócrates respondeu, dizendo que o PS está «a fazer todos os esforços para reunir consenso dos partidos da oposição e para que o nome a apresentar seja um nome com prestígio e reconhecimento na sociedade portuguesa, e merecedor da aprovação da Assembleia da República».

Mas, assegurou: «Se não formos capazes (de reunir esse consenso), avançaremos sozinhos». E acrescentou: «Não estamos em condições de perder mais tempo».

Francisco Louçã acusou o Governo de procurar não o consenso dos outros partidos, mas de estar em conversas apenas com o PSD.

Sócrates prometeu não desistir de «convencer também o Bloco de Esquerda», numa segunda fase, «da bondade desse nome».

«Chegará o momento em que falaremos também com o BE», concluiu.