O BPI e o Santander estimam que a economia portuguesa tenha crescido 0,5 por cento no terceiro trimestre, enquanto o BCP diz que o crescimento deve ter sido de 0,4%, depois de uma expansão de 0,5% entre Abril e Junho, avança a «Lusa».

Comparando com igual período de 2006, o crescimento trimestral deve ter melhorado para um ritmo de 1,9%, segundo os mesmo analistas, mais 0,3 pontos percentuais do que no segundo trimestre.

Os efeitos de base devem justificar esta aceleração, afirmou Gonçalo Pascoal, economista-chefe do BCP, já que Setembro de 2006 foi um período de crescimento «muito fraco».

O investimento deve ter voltado a melhorar no terceiro trimestre e as exportações devem ter mantido a tendência de abrandamento, acrescentou o mesmo analista.

Na quarta-feira o Banco de Portugal vai divulgar o seu boletim económico de Outono, onde devem também ser conhecidas previsões mais recentes de crescimento económico para 2007 e 2008 em Portugal.

Na Primavera, o banco central antecipava uma expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,8 e 2,2% nesses anos, respectivamente, valores que se aproximam muito das previsões mais recentes dos analistas de bancos contactados pela Lusa.

Para 2007, o BPI antecipa um crescimento económico de 1,8%, Santander e BCP esperam uma expansão de 1,9% e o BES é o mais pessimista, com uma previsão de 1,7%, pelo que é provável que o Banco de Portugal possa não mexer na sua previsão.

Para 2008, a antecipação do BdP (2,2%) é a mais optimista, comparando com os valores de 1,8% do BES, 2% do BPI e 2,1% do Santander e do BCP, mas só a divulgação do boletim económico permitirá confirmar se haverá alguma revisão em baixa por parte da instituição presidida por Vítor Constâncio.

Na semana passada a Comissão Europeia publicou as suas previsões de Outono, mantendo a expectativa de crescimento de 1,8% em 2007 e 2% em 2008 para Portugal, apesar de ter revisto em baixa o crescimento do PIB da Zona Euro.
Redação / Lusa/ SPP