Profissionais do mercado de leilões portugueses afastam a ideia de que este se possa tornar um «mercado de pechinchas» por terem surgido lotes leiloados em Portugal há pouco tempo em casas internacionais com avaliações superiores.

No espaço de dois meses foram apresentados em Londres para leilão pela Christie`s dois lotes, um colar de diamantes e um par de quadros, com avaliações superiores às que foram feitas em Portugal. De acordo com a agência Lusa, foi arrematado esta quinta-feira por 432 mil euros um par de pequenos quadros em molduras de prata dourada vendido em leilão por 48 mil euros e avaliado por um valor base entre os 5 mil e os 7.500 euros há menos de nove meses em Portugal.

A crítica de que o mercado nacional corre o risco de se tornar em local de vendas de «pechinchas» veio da parte do perito em jóias João Teixeira, que disse ser preciso «ter cuidado para que o mercado português, que é bom, não se transforme num mercado de pechinchas».

O administrador e sócio da Cabral Moncada, Pedro Alvim rejeitou uma tendência de subavaliações em Portugal que estejam a ser aproveitadas para vender mais caro no estrangeiro, uma opinião reiterada pelo avaliador Henrique Braga e por Luís Castelo Lopes, administrador da leiloeira Palácio Correio Velho.

«Também acontece o contrário, peças que são compradas no estrangeiro e valem mais em Portugal», retorquiu Castelo Lopes.
Redação / RPV