A Caixa Geral de Depósitos (CGD) é o accionista maioritário do BCI-Fomento, segundo maior banco moçambicano, com 51 por cento do capital, depois da reestruturação accionista hoje concretizada e que resultou da saída do grupo SCI e entrada de também moçambicano Grupo INSITEC.

Na nova repartição do capital, a Caixa Geral de Depósitos, que já era o maior accionista, com 42%, passa a ser maioritária, com 51%, o BPI mantém a participação de 30% e o grupo INSITEC assume 19% do capital.

A reestruturação resulta, como a «Lusa» tinha noticiado em Junho, da saída do grupo moçambicano SCI e a venda dos 28% do capital que este tinha no BCI-Fomento à INSITEC e à CGD.

O responsável máximo pelo grupo moçambicano INSITEC, Celso Correia, foi confirmado novo presidente (não executivo) do Conselho de Administração do banco BCI-Fomento, em substituição de Magid Osman.

A entrada de Celso Correia, 29 anos, terá resultado de um financiamento para a aquisição de 19% das acções da holding Grupo Moçambicano - SCI - criado pelo antigo ministro das Finanças de Moçambique Magid Osman, então accionista do banco.
Redação / Lusa/ SPP