Foi com este objectivo que alguns responsáveis da Abertis estiveram em Lisboa para falar com Henrique Granadeiro, presidente do grupo, segundo apurou o «Diário Económico».

A porta-voz da Abertis não quis comentar este contacto, mas afirmou que o grupo está a seguir com interesse o concurso de TDT em Portugal. Falta ainda, no entanto, tomar uma decisão sobre se apresenta, ou não, uma proposta. «A Abertis cresce por oportunidades de negócio e não por sectores de actividade ou por empresas», acrescentou a mesma fonte.

Ao que o «Diário Económico» apurou, a reunião com a PT não terá sido conclusiva uma vez que a operadora ainda não tomou uma decisão sobre a forma como quer estar neste projecto.

No próximo dia 15 de Outubro termina a consulta pública lançada pelo regulador das comunicações, Anacom, para que todos os interessados na TDT façam os comentários que entenderem sobre a hipótese de modelo apresentado.

Em concurso vão estar duas licenças, uma para exploração de um serviço gratuito e outra para o modelo pago. O primeiro vai atribuir a licença para o operador de distribuição de televisão que fornecerá os quatro canais generalistas: RTP1, RTP2, SIC e TVI. Abrindo ainda a possibilidade do lançamento de novas estações em sinal aberto. O vencedor do segundo concurso será o responsável pela gestão de duas plataformas de cobertura nacional e três de âmbito regional, assim como pela distribuição dos serviços.

Até agora Impresa, Media Capital, RTP, Cofina, Controlinveste, Ar Telecom, Vodafone, Sonaecom e PT foram algumas das empresas a manifestarem interesse em analisar o processo.
Redação / SPP