O regulador da Bolsa de Valores de Lisboa está a analisar um e-mail enviado em Julho de 2008 por um ex-director e actual administrador do Banco Português de Negócios (BPN) aos funcionários do banco com um apelo à venda aos clientes de obrigações da Sociedade Lusa de Negócios (SLN) Valor, a conhecida «Operação Cabaz», como meros depósitos a prazo, informa o «Correio da Manhã» (CM).

Fonte da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) confirmou ao «CM» que «estão a ser desenvolvidas diligências com vista ao apuramento dos factos» e assumiu que «se se identificarem violações (legais), serão tomadas as devidas medidas» contra-ordenacionais.

No e-mail de Jorge Pessoa, a que o «CM» teve acesso, pode ler-se: «Relembro que a SLN Valor é a maior accionista da SLN SGPS (31 por cento), que por sua vez detém 100% do BPN, ou seja, na prática estamos a vender o equivalente a um depósito a prazo, com uma excelente taxa».