A intenção foi confirmada ao «Correio da Manhã» (CM) por fonte do gabinete do primeiro-ministro, José Sócrates.

Ao eliminar este benefício atribuído à classe política, na qual se incluem membros do Governo, autarcas governadores civis e, entre outros deputados, José Sócrates imprime uma moralização ao sistema e poupa muitos milhões de euros por anos.

O jornal acrescenta ainda que, só com o subsídio de reintegração dos deputados, o Estado gastou nos últimos cinco anos 3,5 milhões de euros e, só este ano, foram cativados 1,35 milhões de euros para pagar aos deputados que deixaram o Parlamento.
Redação / MF