A SIC continua com muitas dúvidas quanto à implementação da Televisão Digital Terrestre (TDT) e coloca mesmo em causa o seu sucesso de acordo com os moldes actuais do projecto.

«A concorrência vai ser muito superior, em 2012, face àquilo que esperávamos. Vai ser sustentável gerir (a TDT)? Como é que alguém pode garantir um bom retorno de capital perante estas condições?», questionou o consultor da administração da SIC, Luís Marques, durante o pequeno «Primeiro-Almoço Agência Financeira/NH Hoteles», que decorreu esta quarta-feira em Lisboa.

O porta-voz da estação de Carnaxide disse mesmo duvidar que o modelo «venha a resultar» e explicou que a posição da empresa é neutral: «Não temos nenhuns activos para defender nesta fase, mas poderemos vir a ter», disse.

Quanto ao quinto canal de acesso livre, cujo concurso arranca em Outubro, o responsável sublinhou serem conhecidos «os condicionalismos do mercado e naquilo que vai resultar a entrada de um novo operador». Recorde-se que, à semelhança da outra estação privada, a TVI, a SIC tem-se revelado preocupada com a dispersão do mercado publicitário gerada pelo aparecimento do quinto canal.

Ainda assim, Luís Marques reiterou que a disponibilidade da SIC para trabalhar na TDT «será total» apenas se for em modelo de consórcio.

Veja o vídeo em cima
Rui Pedro Vieira / Carla Pinto Silva