(Notícia actualizada às 18h05)

O resultado operacional (EBIT) da Media Capital no 1º trimestre atingiu os 2,9 milhões de euros, o que representa uma descida de 47% face a igual período do ano passado.

Já o EBITDA consolidado recuou para os 5,9 milhões de euros, menos 28% abaixo a igual período do ano anterior, revela em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Quanto ao resultado líquido, este atingiu os 5 mil euros neste período. A empresa esclarece que «se situou praticamente ao nível do break-even».

O grupo obteve um total de receitas publicitárias de 30 milhões de euros, recuando, numa base comparável, 17% face ao período homólogo, «estimando-se um desempenho superior ao do mercado».

Os custos operacionais registaram um crescimento de 19% face ao período comparável do ano anterior, «reflectindo o impacto da Plural España da estrutura do TVI24 e o acréscimo de custos de programação na TVI, compensados em parte pela efeito da venda da actividade de imprensa e pela redução de custos verificada no segmento de radio», adianta o mesmo comunicado.

TVI lidera audiências

Segundo o mesmo documento, a TVI liderou as audiências de televisão em Portugal, com shares médios de audiência em sinal aberto de 34.6% no total do dia e de 39.4% no horário nobre.

Este primeiro trimestre ficou também marcado pelo lançamento do novo canal de notícias - o TVI24.

Mais ouvintes

Já as rádios do grupo obtiveram um share de audiência de 23.3%, «registando no seu conjunto ganhos significativos quer face ao período comparável de 2008, quer relativamente ao trimestre imediatamente anterior».

Novos projectos na Internet

Este primeiro trimestre ficou também marcado no segmento da Internet - onde está incluído o projecto IOL - pela realização «de uma parceria com o MySpace (que permitirá ganhar massa crítica e atrair novos anunciantes), criação do site TVI24, desenvolvimento de novos sites em

parceria e lançamento de vídeos de classificados no automóvel».

Ao mesmo tempo, a empresa apostou no redesenho de alguns dos sites da rede IOL.
Redação / SPP