O Comité Nobel Norueguês anunciou esta segunda-feira que o Prémio Nobel da Economia foi atribuído aos economistas norte-americanos Paul Milgrom e Robert Wilson.

O prémio foi atribuído à dupla "por avanços na teoria dos leilões e pela criação de formatos alternativos nos leilões", avança o Comité responsável pelo galardão Sveriges Riksbank em memória de Alfred Nobel.

Milgrom, de 72 anos, é professor de Humanidades e Ciências na Universidade de Stanford. Wilson, 83 anos, é professor emérito nas áreas de gestão também na Universidade de Stanford.

As descobertas beneficiaram vendedores, compradores e contribuintes de todo o mundo", afirma o comité em nota enviado à comunicação social.

A Associação Americana de Economia descreve Paul Milgrom como "o principal designer de leilões a nível mundial", tendo ajudado a criar formatos para o setor, especialmente através da rádio, nos últimos 30 anos. O trabalho de Milgrom estabeleceu novas formas de interação entre os economistas e o mundo, distinguindo-se como um filósofo da teoria moderna de microeconomia.

O trabalho de Robert Wilson destaca-se pelas contribuições na ciência da gestão e na economia aplicada a empresas. A tese de doutoramento ganhou relevo dentro do setor por ter introduzido pela primeira vez a programação sequencial quadrática, o mais utilizado método interativo na programação não linear.

Juntamente com colegas da Universidade de Stanford, Wilson ajudou a reformular as teorias da organização industrial, através da aplicação de jogos não-cooperativos.