«A esquerda parece não ter feito aquilo que eu tenho reclamado, uma certa unidade de acção da esquerda, mas é preciso ter paciência, esperar, ouvir os outros», disse Mário Soares, quando questionado sobre a ausência de candidatos de esquerda às presidenciais de 2006.

Mário Soares falava aos jornalistas antes da apresentação da obra «Livros proibidos no Estado Novo», editado pelos serviços da Assembleia da República, refere a TSF.

Interrogado sobre uma eventual candidatura de Manuel Alegre, Mário Soares afirmou que o apoiaria.

«Se o Manuel Alegre se apresentasse sou dos que o apoiariam», disse, afastando a hipótese de voltar a candidatar-se à Presidência.

«Eu sou um pobre cidadão. Um cidadão que teve o seu passado, mas agora estou perfeitamente noutra», sublinhou.

Mário Soares manifestou ainda a expectativa de que ainda seja possível a esquerda unir-se em Lisboa para as eleições autárquicas de Outubro.

O ex-presidente da República considerou disse ter pena que os partidos de esquerda não tenham chegado a acordo para reeditar a coligação em Lisboa, que vigorava desde as eleições de 1989.

«É pena, é grave», afirmou, manifestando expectativa de que «ainda seja possível encontrar uma solução».