A variante Ómicron já foi detetada em 110 países e continua a propagar-se de forma exponencial, duplicando os seus casos nas comunidades em dois a três dias, afirmou esta sexta-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Ainda assim, a OMS sublinha que as taxas de contágio desta nova variante estão a baixar na África do Sul, o país onde foi inicialmente detetada, muito devido ao declínio das taxas de contágio na província de Gauteng, onde se localizam as cidades de Pretória e de Joanesburgo.

Dados procedentes de focos de contágio na África do Sul, Reino Unido e Dinamarca parecem sugerir um menor risco de hospitalização em pacientes que contraíram a variante Ómicron em comparação com os que foram infetados com a variante Delta, realça a OMS.

No entanto, a organização sublinha que a compreensão desta variante está a evoluir à medidas que mais dados ficam disponíveis, pelo que analisa estes dados com prudência.

Outros estudos preliminares em vários países indicam uma redução da proteção das vacinas como a da AstraZeneca ou a da Pfizer-BioNtech perante a variante Ómicron, embora no caso desta última uma dose de reforço parece aumentar a sua eficácia, indica ainda a OMS.

/ PF