O presidente da UGT, João Dias da Silva, vai deixar o cargo no próximo congresso da central sindical porque quer dedicar mais tempo ao Sindicato dos Professores da Zona Norte (SPZN) e à Federação Nacional da Educação (FNE).

«O peso que representa ser presidente da UGT tem-me impossibilitado de participar em algumas actividades que me interessam ligadas à FNE e ao SPZN», disse Dias da Silva, que preside à UGT desde Outubro de 2004, tendo substituído Manuela Teixeira, a quem sucedeu, na mesma altura, na presidência dos TSD, escreve a Lusa.

O social-democrata poderia recandidatar-se a mais um mandato, o que seria bem visto pelas tendências socialistas e social-democrata, mas optou por se dedicar em exclusivo à liderança do SPZN e da FNE tendo em conta o aumento do nível de solicitações com que estas estruturas se deparam.

Segundo Dias da Silva, a FNE «tem vindo a crescer e vai continuar a crescer ao nível da intervenção» e de participação em organismos internacionais e é cada vez mais solicitada a dar pareceres relacionados com propostas legislativas.

«Há 20 anos não tínhamos este nível de solicitação mas tudo isto exige disponibilidade e que o trabalho seja feito com qualidade», afirmou, acrescentando que o facto de residir no Porto com a família também não facilita a acumulação de tarefas.

Já há dois candidatos em cima da mesa

O ainda presidente da UGT quer ter mais tempo para ir às escolas falar com os professores e com os trabalhadores não docentes mas garante que irá continuar a contribuir para o projecto sindical da UGT pois, por inerência dos cargos que tem na FNE e no SPZN, irá integrar o secretariado Nacional da UGT.

Além disso, João Dias da Silva faz um balanço positivo do mandato que está prestes a terminar como presidente da UGT. «Foi muito enriquecedor e foi uma honra muito grande presidir à UGT num período em que esta fez um interessante e positivo percurso político-sindical», afirmou.

Tanto o secretário-geral da UGT, João Proença, que lidera a tendência socialista, como o secretário-geral dos Trabalhadores Social-Democratas, Arménio Santos, fizeram uma apreciação positiva do trabalho de João Dias da Silva na presidência da central sindical.

Para já perfilam-se dois candidatos para substituir Dias da Silva - Alfredo Correia (do sindicato dos bancários do norte) e João de Deus (sindicato dos engenheiros da marinha mercante) - mas só quinta-feira é que os TSD tomam uma decisão sobre o candidato que apresentarão ao XI congresso da UGT, que se realiza sexta-feira e sábado em Lisboa.

Recorde-se que João Dias da Silva é secretário-geral da FNE desde 2004 e presidente do SPZN desde 1998.