[Em actualização]

«Se acham que assim conseguem instalar na sociedade a confiança que o sistema financeiro e a supervisão necessitam estão completamente errados». Miguel Macedo, do PSD, criticou esta terça-feira as propostas de conclusão redigidas pelos socialistas sobre a comissão de inquérito ao processo BPN, garantindo que o «PS não quer apurar a verdade».

«Só se consegue reinstalar a confiança desde que, de uma forma muito clara e com verdade, se identifiquem as falhas e se actue com verdade. E nada disto o relatório faz», disse ainda o deputado do PSD, sublinhando que o «PS quis proteger o Banco de Portugal no seu regaço» e o seu governador, Vítor Constâncio.

O deputado Hugo Velosa, também do PSD, considerou mesmo que este relatório, da autoria da deputada socialista Sónia Sanfona, poderia ter sido escrito pelo ministro Teixeira dos Santos. «Esta é a visão do Governo», concluiu.

«Vou tentar não me rir», desabafou o deputado Miguel Macedo, ao ler uma das conclusões do relatório que atesta da «fiscalização estreita» do Banco de Portugal ao BPN.

«Em matéria de supervisão, a sensação é a de que o PS quer proteger o governador do Banco de Portugal», sublinhou o social-democrata.

Entre as principais críticas apontadas às conclusões do relatório está a decisão de nacionalização sem levar em conta o Plano BPN23x08, apresentado por Miguel Cadilhe, que segundo o PSD «poderia ter sido uma alternativa à nacionalização».

«Para o PS nunca há outra solução» a não ser a da nacionalização, mas essa «não era a única opção possível», garantiu o PSD.
Judite França