Aumentar o emprego e retomar o crescimento económico e a convergência com a União Europeia são os objectivos centrais para a área económica do programa eleitoral do PSD.

O partido defende uma alteração do modelo económico do país que tem de «assentar prioritariamente» nas exportações e no investimento privado, nacional e estrangeiro, substituindo «a actual prioridade» baseada no consumo privado e público e no investimento público, refere o programa eleitoral designado «Compromisso de Verdade».

Para aumentar as exportações, escreve a Lusa, o partido liderado por Manuela Ferreira Leite propõe que se garanta o pagamento das dívidas do Estado às empresas, que se crie uma conta corrente entre o Estado e as empresas e que se altere o regime de pagamento e de reembolso do IVA.

PSD promete reduzir taxa social única até 2011

Apesar de não haverá mexidas nos impostos, pelo menos, inicialmente, as empresas terão uma ajuda ao nível da taxa social única (TSU) para a Segurança Social. Isto porque o programa eleitoral apresentado por Ferreira Leite tem em conta uma redução em dois pontos percentuais para a TSU suportada pelos empregadores.

«A medida vigorará até 2011 e será salvaguardada uma adequada compensação financeira à segurança social», avança a líder do partido.

O PSD propõe ainda o alargamento do período de subsídio de desemprego. «Propomos o alargamento, com cariz assumidamente excepcional e temporário, do período potencial de concessão do subsídio de desemprego», atira.

TGV suspenso «imediatamente»

Manuela Ferreira Leite afirmou ainda, durante a apresentação do programa eleitoral do PSD, que se o seu partido vencer as eleições legislativas o projecto do TGV será suspenso «imediatamente».

«Iremos proceder a uma revisão radical da política de dinheiros públicos, substituindo os investimentos megalómanos por investimentos de proximidade», remata.
Redação / CPS