A bolsa nacional encerrou a sessão a perder, numa dia em que a EDP Renováveis e a Zon Multimédia lideraram as descidas. EDP e Portugal Telecom também comprometeram.

O índice PSI20 caiu 0,90 por cento para os 5.851,18 pontos, com 9 títulos em queda e 11 em alta. Na restante Europa, as bolsas encerraram mistas. Madrid subiu 0,38% e Londres cresceu 0,85%. Já Paris recuou 0,41% e Frankfurt cedeu 1,27%.

Confira as cotações do petróleo

A penalizar ficou a EDP Renováveis que derrapou 4,84% para os 5,56 euros e a casa mãe, EDP, que cedeu 2,4% para os 2,44 euros.

Nas telecoms, a Zon Multimédia recuou 3,9% para os 3,91 euros, com a notícia que dá conta de um possível adiamento do quinto canal. Também a Portugal Telecom (PT) deslizou 1,4% para os 6,25 euros. Já a Sonaecom impediu maiores perdas ao subir 2,09% para os 1,12 euros.

A empurrar para baixo ficou ainda a Brisa, depois do BNP Paribas ter revisto em baixa o preço-alvo para a concessionária portuguesa, de 10,00 para 7,60 euros. A empresa fechou a desvalorizar 2,35% para os 4,63 euros.

Do lado do sector financeiro, o BPI desceu 2,07% para os 1,37 euros, valor mais baixo desde Dezembro. Também o BES renovou mínimos nos 4,50 euros, tendo acabado por fechar a cotar nos 4,63 euros, com uma queda de 1,38%.

REN sai a ganhar no dia em que apresenta resultados

No sentido oposto, o BCP travou maiores descidas ao ganhar 1,16% para os 0,60 euros, no dia em que a Sonangol garantiu que pretende reforçar a sua posição de 9,99% no capital da instituição.

Nota pela positiva para a Galp que trepou 2,18% para os 8,39 euros, depois da petrolífera ter anunciado que baixou os preços dos combustíveis.

Destaque ainda para a REN que fechou a ganhar 1,64% para 3,09 euros, na tarde em que apresenta resultados, e para a Jerónimo Martins (JM) que avançou 3,82% para os 3,26 euros.

Nos Estados Unidos, os mercados seguem a desvalorizar.

Confira as cotações do petróleo
Carla Pinto Silva