A associação ambientalista Quercus denunciou, esta quarta-feira, a destruição da Mata Nacional do Valado dos Frades, no concelho da Nazaré, para a construção de uma zona industrial e para um dos troços do itinerário complementar (IC) 9.

Em comunicado, a Quercus explica que a mata, «criada há vários séculos para conter o avanço das areias do litoral, está a ser destruída em grande parte para a construção de uma zona industrial com cerca de 30 hectares».

Segundo a Quercus, o anterior Governo autorizou «a cessão, a título definitivo, de 296 393 m2» da mata à Câmara da Nazaré por 2,08 milhões de euros «para construção de uma zona industrial, sem que tenha existido qualquer parecer favorável da Autoridade Florestal Nacional (AFN), nem avaliação de impacte ambiental».

Para a associação, esta é uma «situação inaceitável em termos de planeamento e que apenas favorece interesses privados em detrimento da conservação» da mata nacional.

À Lusa, o gabinete de imprensa do Ministério da Agricultura, que tutela a AFN, adianta que o plano diretor municipal da Nazaré, ratificado pelo Conselho de Ministros em 1997, «tinha previsto que parte da mata fosse para uma zona industrial».

De acordo com o mesmo gabinete, «à época, o Instituto Florestal, hoje AFN, emitiu um parecer favorável em sede de comissão de acompanhamento» do plano.

A Quercus acrescenta que, sobre a mesma mata, recebeu «denúncias sobre o exagero das dezenas de hectares que estão a ser desflorestados», mas agora para a construção do IC9, troço entre Nazaré-Alcobaça-Estrada Nacional 1, «sem que tivesse sido efectuado qualquer estudo de alternativas ou avaliação de impacte ambiental (AIA), o que era obrigatório legalmente».
Redação / PP