As rentrées que tradicionalmente marcam o início do ano político estão de regresso, depois de em 2020 a maior parte ter sido cancelada por causa da pandemia, já com olhos postos nas eleições autárquicas de 26 de setembro.

O PS inicia o novo ano político com o seu XXIII Congresso, que se realizará a 28 e 29 de agosto, na Portimão Arena, no Algarve.

A 10 de agosto, o partido justificou a decisão de realizar o congresso presencialmente com o facto de 70% da população já estar vacinada contra a covid-19 com pelo menos uma dose à data e com a previsão de que, até ao final de agosto, 70% da população já teria completado a vacinação - meta atingida no dia 18.

De acordo com o PS, a reunião magna vai realizar-se "com o distanciamento físico adequado entre os delegados, respeitando as regras das autoridades de saúde e com o acesso condicionado à apresentação do certificado de vacinação ou teste realizado à entrada".

Está ainda prevista a participação à distância e o partido garante, por meios digitais, "o direito à credenciação, ao pedido de palavra e à participação nas votações".

Segundo fonte oficial, o PSD tem marcado para o dia 28 de agosto, a partir das 16:00, um Fórum Nacional Autárquico em Faro, no Teatro das Figuras. Já no dia 29, em Albufeira, será feita a apresentação de todos os candidatos do Algarve. Ambos os eventos contarão com a presença do presidente do partido, Rui Rio.

Mas Rio vai para a estrada já no dia 25 de agosto, com uma volta autárquica por vários concelhos do país, entrando pelo período oficial de campanha, que começa no dia 14 de setembro e que termina a 24. Ainda sem pormenores quanto ao programa, a mesma fonte adiantou à Lusa apenas que não haverá ações todos os dias.

Canceladas ficam as tradicionais Festa do Pontal e Universidade de Verão e, nos eventos marcados, o partido assegura que irá seguir "escrupulosamente todas as regras da Direção-Geral da Saúde".

Para 28 e 29 de agosto está também marcado o Fórum Socialismo, 'rentrée' do Bloco de Esquerda, que foi cancelado em 2020, mas regressa este ano, dividido em duas cidades para se adaptar ao contexto pandémico e evitar grandes ajuntamentos e deslocações: em Braga no primeiro dia e Almada no dia seguinte.

A saúde mental, a preparação para "novas pandemias” e o combate ao crime de enriquecimento injustificado são alguns dos temas que irão a debate nesta iniciativa, cujo encerramento estará a cargo da coordenadora do partido, Catarina Martins.

Já o PCP, que em 2020 não cancelou o tradicional certame político-cultural da sua ‘rentrée’, volta a organizar este ano a Festa do Avante!. O evento regressa à Quinta da Atalaia, no Seixal (distrito de Setúbal), entre 03 e 05 de setembro, para a 45.ª edição, que este ano coincide com o centenário do partido.

Esta será a segunda edição da Festa em pandemia e o partido já assegurou que manterá as medidas adotadas o ano passado para mitigar a propagação do novo coronavírus, como locais para lavagem e desinfeção das mãos espalhadas pelo recinto, circuitos de circulação “devidamente identificados”, a recomendação da utilização de máscaras “nos locais indicados”, o aumento das áreas de esplanada e a organização de mesas para garantir o distanciamento físico, assim como a definição de lugares sentados nos locais de espetáculos.

Em conferência de imprensa para apresentar a rentrée comunista esta quinta-feira, Alexandre Araújo, membro do Comité Central do PCP, recomendou a todos os “visitantes, com mais de 12 anos, que sejam portadores de comprovativo de vacinação, de recuperação da doença ou teste negativo”, acrescentando que a organização da Festa do Avante! vai disponibilizar “junto da entrada da festa uma área onde será possível a realização de testes rápidos” e outra para "autotestes".

Alexandre Araújo também disse que a resposta da DGS ao plano de contingência enviado pelo partido para a rentrée está “para breve” e que serão adotadas as recomendações feitas, incluindo “no acesso de visitantes ao recinto”.

O regresso à vida política do PEV é assinalado com iniciativas da 'Ecolojovem', organização que reúne os jovens do partido, adiantou à Lusa fonte oficial.

No dia 21 de agosto, pelas 17:30, em Guimarães, haverá um debate da Juventude CDU (Coligação Democrática Unitária que junta PCP e PEV) para “discutir problemáticas que afetam a juventude portuguesa como a mobilidade e a habitação”. Já no domingo (22), a Ecolojovem tem marcada uma caminhada também em Guimarães, “nomeadamente pelo teleférico e pela Penha”.

De acordo com fonte oficial, a 'rentrée' política do CDS-PP será em Mirandela, distrito de Bragança, "entre o final de agosto e princípio de setembro". O evento, ainda sem programa fechado, terá como tema as eleições autárquicas e pretende "passar uma imagem forte de mobilização".

O PAN vai assinalar o arranque do novo ano político com uma conferência sobre alterações climáticas dedicada à discussão dos resultados do relatório especial do Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas (IPCC) e também uma visita em Setúbal dedicada ao mar, iniciativas que deverão acontecer no início de setembro, adiantou o partido à Lusa.

Já o Chega organiza no próximo dia 31 de agosto, em Albufeira, a sua 'rentrée' política, que contará com um discurso do presidente do partido, André Ventura, e terá lugares limitados. De acordo com fonte oficial do partido "o evento decorrerá em conformidade com as regras da DGS".

"Será o arranque do ano político e naturalmente que não será possível dissociar das autárquicas tendo em conta a proximidade do ato eleitoral", acrescentou a mesma fonte.

Antecipando-se à época tradicional de 'rentrées' políticas, só a Iniciativa Liberal (IL) já realizou no passado dia 13 de agosto a sua primeira 'rentrée', em Albufeira, intitulada "A'gosto da Liberdade" e que contou com a presença do presidente do partido, João Cotrim de Figueiredo.

/ CP