Disputados os dois últimos jogos de preparação antes da convocatória para o Euro2016, Fernando Santos admite que já pensou várias vezes se valerá a pena ter um ponta de lança de raíz na lista.

«Essa não é uma pergunta nova para mim. Já fiz a mim próprio. Se podia meter o Bruno Alves a ponta de lança em caso de necessidade, ou algo assim. Eu tenho de definir o que preciso do avançado. Se levo um jogador que pode ser importante em alguns momentos, como no jogo com a Bulgária, ou se não vale a pena levar um jogador deste tipo. Tenho feito esta pergunta a mim próprio várias vezes», assumiu o selecionador nacional após o jogo com a Bélgica.

Questionado depois se um plano está mais afinado do que o outro, Fernando Santos respondeu que «mesmo o plano B tem margem de progressão», pois «há outros jogadores que podem desempenhar a posição».

Nuno Travassos