Um homem de 70 anos vai ser julgado no Tribunal de Penafiel por 21 crimes de abuso sexual da neta, de 12 anos, na sua residência, em Lousada, de acordo com a acusação do Ministério Público (MP).

Os atos incluíram múltiplas penetrações vaginais, sem uso de preservativo, e sexo oral, ilícitos praticados na casa do alegado agressor, segundo o MP.

As situações terão ocorrido em Meinedo, no concelho de Lousada, entre o verão de 2014 e o mês de outubro de 2015, no quarto dos avós.

Segundo a acusação, "em todas as ocasiões, o arguido [que tinha então 65 anos] agiu com intenção de satisfazer os seus instintos sexuais e lascívia à custa da menor, o que conseguiu, valendo-se da sua ascendência física e da confiança e do respeito que lhe era dispensado pelos laços familiares, bem sabendo que, com os seus comportamentos, atingia os sentimentos de pudor moral, de vergonha e sexuais daquela".

Considera ainda o Ministério Publico que o homem se serviu da "inexperiência e da credulidade da menor, apesar de bem saber que ao atuar do modo descrito prejudicava o seu desenvolvimento integral e que corrompia a sua liberdade de determinação sexual".

O alegado agressor responde neste julgamento por um crime de abuso sexual de crianças e 20 crimes de abuso sexual de crianças agravados.

O início do julgamento está marcado para 11 de abril.