«Tudo o que era valioso foi levado pelos ladrões: caixilhos e revestimentos em cobre, puxadores das portas, espelhos de alabastro, candeeiros originais e rodapés foram arrancados da sala principal, deixando as paredes praticamente despidas», esclarece Pedro Oliveira.